Afro-brasileiros no futebol de Taubaté

O mês de novembro está chegando ao final e é neste mês, exatamente no dia 20, que é comemorado o dia da Consciência Negra.

Aproveitamos essa oportunidade para registrar o preconceito que existiu na história do E. C. Taubaté, nos primeiros anos de sua existência, com os atletas Jajá e Aristides, os primeiros afro-brasileiros que vestiram a gloriosa camisa do E. C. Taubaté.

equipe 1919

Formação da equipe campeã de 1919 – Evandalo, Ernesto, Luiz Simi e Paulinho (goleiro); Sansoni, Euclides e Ismael; Altino, Porfírio, Jajá e Aristides. Na foto, Jajá e Aristides, são os dois últimos abaixo. – foto: arquivo pessoal Moacir dos Santos.

No ano de 1914, os irmãos taubateanos enfrentaram preconceito em uma partida de futebol realizada na capital paulista.

A inauguração do Estádio da Praça Monsenhor Silva Barros foi marcada por um acontecimento de destaque. O então S. C. Taubaté jogou amistosamente com A. A. Palmeiras da Floresta. (não confundir com o antigo Palestra, atual S.E. Palmeiras), equipe filiada à A.P.S.A. Associação Paulista dos Sports Athléticos.

Apesar do grande evento festivo ocorrido em 25.12.1914, o placar final apontou 6X1 para a A.A. Palmeiras. Os dirigentes taubateanos não aceitaram o resultado e, apesar de reconhecer que o adversário era na época, o mais temido, marcaram uma nova partida e novamente conheceram outra derrota, 5X3.

Um terceiro jogo foi agendado, e desta vez na casa do adversário, no campo da Floresta na capital paulista.

Para esse compromisso, graças a visão do então diretor esportivo e técnico, João Rachou, dois irmãos que atuavam na equipe “B” do S. C. Taubaté, foram chamados para integrar a equipe principal. José Maria Ludgero, o Jajá e Aristides Ludgero.

Menos de duas décadas, o futebol havia chegado ao Brasil e seus praticantes eram pessoas de posse e destaque social, pessoa afro-brasileiro não tinha espaço. Tanto é que em crônica escrita pelo saudoso Dr. Oswaldo Barbosa Guisard, é registrado que no terceiro jogo diante da AA Palmeiras, houve restrições por parte de alguns dirigentes adversário, quanto a participação dos alas, Jajá e Aristides que eram afro-brasileiro. Mas os dirigentes taubateanos, não aceitaram e mantiveram a posição e ambos acabaram sendo destaques da histórica partida, vencida pelo S. C. Taubaté, com gols de Jajá e Renato Granadeiro Guimarães. A atitude dos dirigentes taubateanos contribuiu diretamente para que afro-brasileiros fossem aceitos no futebol.

“Eis nestas linhas justificados um dos maiores feitos do Esporte Clube Taubaté no futebol brasileiro: o ingresso do negro no futebol brasileiro! O E. C. Taubaté, sinão o primeiro foi um dos primeiro da história dos “criolinhos” no esporte das multidões”, registra Dr. Oswaldo Barbosa Guisard, em sua crônica publicada nas páginas do jornal A Voz do Vale de 1978.

Jajá e Aristides jogaram por muitos anos defendendo o E. C. Taubaté fazendo, inclusive, parte do elenco que conquistou o primeiro título de campeão do interior em 1919. Neste elenco campeão, outros atletas afro-brasileiros também fizeram parte, como, Euclides e Ernesto que aparece ao lado de Aristides (o segundo, o quarto e o quinto em pé na foto do arquivo pessoal de Moacir dos santos)

Equipe com Aristides

Sobre Jajá, outra curiosidade contada também pelo Dr. Oswaldo Barbosa Gusard em seu livro Taubaté no aflorar do século, pagina 132:
“P.S. A propósito do negrinho Jajá, anotemos uma curiosidade. Foi ele desde menino, nos tempos do Vigário Nascimento Castro, um notável sineiro replicando com maestria as pesadas cordas dos sinos da nossa velha Catedral que eram na época uma das mais, senão a maior das expressões sonoras da velha e levitica Taubaté.”

Enfrentando descriminação, Jajá e Arisitdes, os primeiros irmãos que defenderam as cores do Esporte clube Taubaté, pelo menos é o registro encontrado, pois ambos praticamente iniciaram a carreira juntamente com o surgimento do glorioso alvi-Azul.

A foto que divulgamos abaixo, mostra uma das equipes do S. C. Taubaté, ano de 1920/21, com destaque para o goleiro Moreirinha, o primeiro da esquerda para direita. Nesse time encontramos três atletas afro-brasileiros, que sem descrição alguma, jogavam no S. C. Taubaté. Os dois próximos do goleiro Moreirinha são Aristides e Jajá. O que está agachado não identificado.

TIME ANOS 20

E. C. Taubaté – Acervo: Moacir dos Santos legenda

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s