IMPERDÍVEL! Éder Jofre em Taubaté

O ex boxeador Éder Jofre foi sem dúvida, um dos maiores idolos do esporte brasileiro.

eder jofre

ÉDER JOFRE – Foto de Cesar Morgado / Colégio Objetivo

Neste mes de janeiro ele foi lembrado em uma minissérie 10 segundos para vencer exibido pela TV Globo.

A SPORTV também fez uma homenagem ao campeão mundial dos pesos-galo e pena, quando mostrou o especial Éder Jofre 50 anos que foi produzido em 2010 quando comemorou o aniversário de 50 anos do primeiro titulo do campeão. Pra que a historia fosse contada por completa, a mesma SPORTV também reprisou uma entrevista de Éder Jofre concedida a Galvão Bueno em 2010

A minissérie que mostrou a brilhante carreira de Éder Jofre, não deixou de enfatizar o relacionamento estreito que tinha com seu pai, Kid Jofre.

Na minissérie Daniel Oliveira fez o papel do campeão e Osmar Prado interpretou o pai e treinador Kid Jofre.

lutador

Daniel de Oliveira e Osmar Prado durante a gravação de “10 Segundos Para Vencer” — Foto: Divulgação/Gui Maia

 

edeer jofre 1

Jornal A Tribuna de 30 de abril de 1967 anuncia a grande luta no TCC

ÉDER JOFRE EM TAUBATÉ

Abril de 1967, o Taubaté Country Club realiza uma sensacional noitada esportiva, com a presença do pugilista e ídolo brasileiro Éder Jofre.

Apesar de nessa época já não mantinha mais o cinturão de campeão, Éder Jofre era atracao onde passava. O então também famoso Leônidas Sacoma, naquela noite, foi eleito o adversário de Éder Jofre.

A programação completa previa quatro lutas preliminares, em confrontos entre os amadores da Academia Taubateana de Box. Uma com maior expressão entre o taubateano Milton 81, campeão do Vale do Paraíba contra o paulistano Expedido Perez integrante da equipe A Gazeta Esportiva, ficando para a luda principal Eder Jofre contra Leônidas Sacoma.

O resultado da luta principal apesar de Sacomã ser um ótimo pugilista não teve muita chance com Éder Jofre que durante toda a luta mostrou tática ofensiva não permitindo que o seu adversário reagisse.

Foi sem dúvida uma noite inesquecível para aqueles que tiveram oportunidade de estar presente.

Confira maiores detalhes dessa noite nos dois exemplares do Jornal A Tribuna que trás reportagens completas. Essas edições históricas, encontrei durante as minhas pesquisas no Museu Municipal de Taubaté.

eder jofre

Jornal A Tribuna de 3 de maio de 1967 conta tudo que aconteceu na noite de exibicão do ídolo brasileiro

CARREIRA DE ÉDER JOFRE

Pugilista brasileiro nascido em São Paulo, Estado de São Paulo, único brasileiro a conquistar o título de campeão mundial de boxe, em duas ocasiões e, assim, foi o maior pugilista brasileiro de todos os tempos, tendo conquistado os títulos mundiais de pesos galo e pena. De família de pugilistas, destacou-se inicialmente como amador na categoria peso-mosca. Invicto, passou para a categoria dos galos (1956), representou o Brasil no campeonato latino-americano de Montevidéu e participou dos Jogos Olímpicos de Melbourne, Austrália (1965), onde chegou às quartas-de-final na categoria peso galo, sendo eliminado pelo chileno Cláudio Barrientos. No ano seguinte, começou sua carreira profissional. Conquistou o título brasileiro de galos (1958), profissionalizou-se e apareceu no ranking mundial da World Boxing Association (1959). Conquistou o título sul-americano (1960) e pouco tempo depois, o cinturão do título mundial dos pesos-galo (1960) ao derrotar o mexicano Eloy Sánchez, por nocaute, no sexto assalto. Mudou-se (1961) para os Estados Unidos com um retrospecto de 24 vitórias, 2 empates e nenhuma derrota e neste ano, conquistou o título mundial dos pesos galo pela National Boxing Asociation. Um ano depois, unificou os títulos dos galos ao vencer o irlandês Johnny Caldwell, e tornou-se o único campeão do mundo na categoria, e manteve-se invicto até perder o título em Tóquio para o japonês Masahiko Fighting Harada, numa polêmica decisão por pontos (1965), após defender seu título sete vezes consecutivas, vencendo todas as lutas por nocaute. Mudando de categoria voltou ao boxe (1969) na categoria dos pesos-pena. Novamente ranqueado (1970), conquistou o título mundial dos penas (1973) ao vencer, por pontos, em Brasília, o cubano naturalizado espanhol José Legra, Venceu todas as 25 lutas que realizou como pena, conquistando o título do Conselho Mundial de Boxe (1973). Continuou a carreira por mais três anos, vencendo todas as lutas. Após a morte do irmão Dogalberto, resolveu se aposentar (1976) com 81 lutas: 77 vitórias (52 nocautes) 2 empates e 2 derrotas. Assim perdeu o título por não o ter posto em jogo dentro do prazo previsto. Abandonou definitivamente o boxe (1976) e ingressou na política e elegeu-se vereador na cidade de São Paulo em três pleitos. Foi eleito entre especialistas para ingressar no Hall of Fame do boxe mundial, em Nova York, EUA (1992). A revista The Ring, a mais prestigiada publicação do setor, também colocou o pugilista brasileiros entre os maiores e foi eleito entre os 50 melhores boxeadores da era moderna, ficando em 9º lugar.

Fonte da biografia NETSABER

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s