Vôlei Taubaté joga neste sábado pela Superliga, com Navajas no comando

Será a esteia de Ricardo Navajas no comando técnico da equipe taubateana

navajas .

Ricardo Navajas técnico interino do Vôlei Taubaté — Foto: Renato Antunes/Maxx Sports Brasil

Desde a ultima quinta-feira, a equipe de Volei do Taubaté tem nova direção. O Supervisor do Vôlei Taubaté Ricardo Navajas, assumiu o comando de forma interina, mas deixou claro que permanecerá pelo menos até o final da Superliga, ou seja um novo treinador não será anunciado de imediato.

A decisão da saída do treinador Daniel Castellani, foi tomada logo após o encerramento da Copa Libertadores realizada na cidade de Taubaté, onde a equipe da casa terminou em quarto lugar, após perder ara o Sesi a disputa da terceira colocação.

Com relação a saída de Daniel Castellani, o novo técnico informou em entrevista coletiva:

“A equipe, teoricamente, não rendeu o esperado, mas ele montou a equipe na melhor das intenções. Às vezes, isso não dá certo. Na cabeça dele, era uma equipe vencedora mas não rendeu. Foi mal na Libertadores, mal na Copa Brasil. A forma que ele trabalhou o time não deu certo. E aí é uma decisão dos diretores. Eu nem posso falar muito, porque estava afastado da diretoria nessa temporada. Estava fazendo só a parte administrativa. Não estava participando tecnicamente este ano a pedido do Castellani, mesmo. Então não posso te responder. Foi uma decisão dos diretores e a gente tem que acatar”.

 Questionado de como se sente depois de tanto tempo voltar a dirigir uma equipe de vôlei, Ricardo Navajas comentou:

“Meu desejo não era ser mais técnico de voleibol. Meu desejo é trabalhar no voleibol como eu vinha fazendo. Gosto muito do que eu faço, como diretor técnico, auxiliando na supervisão, na direção técnica. No momento, é só para resolver esse problema do novo técnico que virá e que será contratado. Eles ainda estão decidindo alguns nomes. Enquanto não decidem, me pediram para voltar a ser técnico nesse período que vai até acabar a Superliga. Eu deixei claro: é só neste período. Acabou, gostaria de voltar para supervisor. A minha carreira como técnico é encerrada. Não vou voltar a ser técnico. Deixo isso bem claro: fui surpreendido por ter que ser o técnico. Aliás, não foi um pedido, não tem porque não falar. Foi uma imposição do prefeito. É ele quem manda e, se ele manda, você tem que acatar”.

O Vôlei Taubaté está disputando a Superliga 2018/2019 e ocupa a terceira colocação com 37 pontos, três a menos que o líder Sada Cruzeiro e um a menos que o 2º colocado SESI-SP . Perguntado sobre a maior dificuldade que deverá encontrar, para levar a equipe ao titulo da Superliga, respondeu:


“ A maior dificuldade vai ser eu, mesmo. Eu estou há nove anos fora (do cargo de treinador). Meu último trabalho foi em 2009, na Liga Mundial com a Venezuela. A maior dificuldade é virar essa chave. Eu era a pessoa que estava aqui para resolver problema e agora passei a ser um problema. Isso leva tempo. Vou deixar a comissão técnica trabalhar com tranquilidade, ser auxiliado e virar essa chave, que não é tão simples assim. Voleibol é um esporte dificílimo. Se fosse fácil, qualquer um faria. Você vê: o Castellani montou uma excelente equipe e não conseguiu impor o trabalho. É realmente um complicador quando a equipe não responde. Eu não esperava. Mas já que estou nessa situação, já avisei ali (aos jogadores): é para ganhar a Superliga. Não vou virar tapa buraco para ver o que vai acontecer. A equipe é de título. Não tem ‘bom trabalho’. Estamos aqui pra ganhar. É uma responsabilidade grande, mas não tenho esse problema. Já vivi isso antes. Em Suzano, era sempre para ganhar. A pressão era para vencer. Mas, assim, são outros tempos, outros atletas, outro voleibol, outro tudo. Agora, tenho que me adaptar a eles e não eles a mim”.

Para cumprir a sexta rodada do returno da Superliga, a equioe taubateana volta a quadra neste sábado(16) quando receberá no ginásio do Abaeté o Itapetininga a partir das 18h30, jogo esse que marcará a estreia de Ricardo Navajas dirigindo a equipe taubateana.

img_0413

Na Superliga, a equipe vem de uma sequencia de sete vitórias. A ultima derrota na Superliga aconteceu em 12 de dezembro de 2018, conta o Cruzeiro 3 X 0.

 Sequencia de vitórias na Superliga:

16/12/2018 S. F. Saúde/Vôlei Ribeirão(SP) 0x3 EMS Taubaté Funvic
22/12/2018 Copel Telecom Maringá (PR) 0x3 EMS Taubaté Funvic
12/01/2019 EMS Taubaté Funvic 3×1 Caramuru Vôlei (PR)
20/01/2019 Corinthians-Guarulhos (SP) 0x3 EMS Taubaté Funvic
30/01/2019 EMS Taubaté Funvic 3×0 Vôlei Renata Campinas (SP)
02/02/2019 São Judas Voleibol (SP) 0x3 EMS Taubaté Funvic
07/02/2019 EMS Taubaté Funvic 3×2 Fiat/Minas (MG)

Próximos jogos pela Superliga:

16/02/2019 EMS Taubaté Funvic x Vôlei UM Itapetininga (SP)
20/02/2019 SESC-RJ x EMS Taubaté Funvic
23/02/2019 EMS Taubaté Funvic x SESI-SP
28/02/2019 Sada Cruzeiro (MG) x EMS Taubaté Funvic
09/03/2019 EMS Taubaté Funvic x S. F. Saúde/Vôlei Ribeirão(SP)
16/03/2019 EMS Taubaté Funvic x Copel Telecom Maringá (PR)

Fotos: Rafinha Oliveira/EMS Taubaté Funvic e Renato Antunes/Maxx Sports Brasil

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s