ADILSON SAQUINHO UM CRAQUE DE CURTA CARREIRA PROFISSIONAL

Adilson Saquinho, um jovem alegre, muito querido, mas a bebida tratou de encurtar sua carreira de craque.

No início de 1967, o E. C. Taubaté fez estear um atacante de nome Adilson, também conhecido como Saquinho, vindo do futebol amador de nossa cidade.

Sua estreia não poderia ser melhor, contra o rival São José em um jogo que Saquinho, só não fez chover, marcou dois dos quatro tentos taubateano, na vitória de virada de 4X3.

“Depois do jogo de estreia contra o São José, a torcida aguardou a saída de Saquinho na porta do vestiário do estádio da Praça Monsenhor Silva Barros e, em passeata e grande festa, acompanhou a grande promessa até a Vila São Geraldo, onde residia.” contou Trindade que serviu o Exercito Brasileiro juntamente com Saquinho.

“O primeiro time de futebol que Saquinho jogou, foi o time infantil do Parque da Vila, coordenado pelo seu Antero”, conta Trindade.

Benedito Adilson de Oliveira, nascido em 01/05/47 na Vila São Geraldo em Taubaté, faleceu em 21/07/93. Desde pequeno, já despontava como bom de bola. “O seu Antero (Antero Ferreira da Silva), grande incentivador do esporte, organizava equipes de crianças, montando times para torneios que eram realizados no Parque do bairro, área ao lado do Estádio Geraldo de Lima Franco, onde funcionou a empresa Passaredo, atualmente instalada a creche municipal”, comentou o ex-goleiro do E. C. Taubaté Barrela.

Filho de José de Oliveira e Maria de Lurdes da Conceição, Adilson tinha ainda duas irmãs, Darcy e Neusa.

IMG_8397

Em Aparecida, Saquinho ao lado da irmã Darci – foto arquivo pessoal dona Darci.

O APELIDO

Conta Darci, uma das irmãs de Adilson, o apelido surgiu ainda quando criança: “Perto de nossa casa, tinha o armazém do senhor Artur. A minha mãe pediu para o Adilson comprar saquinho de pó. Acho que ele para não esquecer, foi até o armazém falando sozinho, repetidas vezes, saquinho… saquinho…. saquinho. A garotada escutou e passou a chama-lo de saquinho” comentou Darci.

Com 16 anos, Saquinho já era titular na equipe amadora principal do Sabará FC, do bairro do mesmo nome em Taubaté.

Em 1966, se apresentou ao Exercito Brasileiro, servindo a Pátria no 1º do 6º RI, sob o comando do Comandante Hugo de Sá Campelo Filho, onde permaneceu  por onze meses, até o inicio de 1967.

Na equipe do Exército, Saquinho jogou com outros craques como, Miro, Benício (pai do Gilsinho e Gisiel), Tau, Marinho Cri Cri e Trindade, todos de Taubaté, além de Denílson, irmão do goleiro Leão, que também jogava no gol e Baiano, lateral ambos jogaram no E.C. São José.

No alojamento no café.

A forte equipe do 6º R.I. Exército de Caçapava, acumulou inúmeros títulos internos, chegando a final do Campeonato Nacional Militar onde, jogando no Maracanã, venceu o temido time do CEACAN – Companhia de Canhões Anti Carros do Rio de Janeiro. A vitória deu a equipe de Saquinho o título de Campeão Brasileiro Militar. Trindade não participou desse jogo final. “Naquela data fui escalado como motorista do ônibus, para conduzir a delegação caçapavense até o Rio de Janeiro” comentou Trindade.

Dois dias após sua baixa no Exército Brasileiro, Saquinho foi convidado para defender as cores do E. C. Taubaté, que iniciava a disputa do Torneio do Vale. Miro também convidado, veio jogar no E. C. Taubaté.

A partida marcada para a noite  daquela quarta-feira, 15/02/1967 no campo do Bosque (Praça Monsenhor Silva Barros), era esperada com muita expectativa. Saquinho foi escalado, e no auge de sua forma física, foi o destaque do jogo, marcando 2 gols. O E. C. Taubaté venceu seu rival pelo placar de 4X3.

Confira a ficha técnica dessa partida que marcou a estreia de Saquinho com a camisa do E. C. Taubaté.

15/02/1967 – Praça Monsenhor Silva Barros

E. C. Taubaté 4 X 3 E. C. São José – Torneio do Vale em comemoração ao IIº Centenário de São José dos Campos

E. C. Taubaté: Barrela, Cláudio Tifú, Jordan, Zezé e Vaguinho; Marcos e Miro; Renatinho, Diango, Adilson Saquinho e Nogueira – Técnico: Rubens Peliciotti.

E.C. São José: Leão, Baiano, Alemão, Flávio e Jurandir; Teodoro e Valdir; Bolacha, Norival, Zé Luiz (Pio) e Eliseu – Técnico: Diede Lameiro

Gols de Diango (T) aos 7’, Bolacha (SJ) aos 35’, Jurandir (SJ) aos 38’ e Bolacha (SJ) aos 42’ do primeiro tempo. Adilson Saquinho (T) aos 6’ e aos 39’ e Nogueira(T) aos 42’ de penalti.

Renda: NR$ 405.000,00 – Público: sem registro

Árbitro: Brasil Natalino

Miro (E. C. Taubaté) e Baiano ( E. C. São José), que serviram o Exército com  Adilson, participaram da partida e também seguiram como atleta profissional.

DISPUTA PELO SAQUINHO

Dia seguinte do importante jogo, diretores do E. C. São José tentaram contratar Adilson para defender a equipe da cidade vizinha, mas o diretoria do E. C. Taubaté agiu com rapidez e acertou a contratação daquela grande promessa, que já estava sendo valorizada.

Adilson aceitou assinar contrato com o E. C. Taubaté nas seguintes bases. Recebeu NCr$ 1.500,00 como pagamento de luvas e NCr$ 200,00  por mês. (NCr$ simbolo do cruzeiro novo, que foi uma moeda que circulou transitoriamente no Brasil no período entre 13 de fevereiro de 1967 a 14 de maio de 1970).

Luvas: Naquela época, era comum o clube pagar um valor ao novo jogador contratado, com a finalidade de atrair o profissional para compor sua equipe. Esse valor pago era conhecido como  “luvas”.

ANOS 60 COM BARRELA, EGIDIO E SAQUINHO identificada cópia

Saquinho com a camisa do E. C. Taubaté – acervo pessoal: Moacir dos Santos

GOL DE BICICLETA

Um gol que ficou na história da curta carreira profissional de Saquinho, foi anotado no jogo seguinte, realizado em 18/02/1967, amistoso contra a AA Barbará no Campo do Bosque. O E. C. Taubaté venceu pelo placar de 3X2, Adilson marcou dois gols o primeiro e o terceiro, este último, um gol feito em jogada concluída com uma bela bicicleta.

INÍCIO ARRASANTE

Nos quatro primeiro jogos com a camisa do E. C. Taubaté, Adilson marcou seis gols, (dois contra o São José, dois contra a AA Barbarense, um contra a A Ferroviária de Pinda e um contra o Guarani de Volta Redonda)e, ainda, foi o artilheiro do Torneio do Vale com 6 gols, passando a ser o principal assunto esportivo na cidade.

OS CONTRAS

Hábil e rápido, Adilson era visado pelos seus marcadores, que sempre tentavam conte-lo com jogadas duras e muitas vezes violentas. Por isso, enfrentou uma série de contusões que, com frequência,  afastava o artilheiro dos gramados, E foi assim no inicio do Campeonato Paulista de Acesso em 1967. Adilson praticamente ficou fora de todo o primeiro turno, voltando aos gramados na décima primeira rodada, que aconteceu em 23.07, na vitória do E. C. Taubaté, frente a Ferroviária (Botucatu) 4 a 1,  gols de Gardel 4, Miro 25, Fernandes 44 do 1°; Pampolini (penal) 40 do 2°. Logo depois, novo período inativo, voltando contra a Esportiva de Guaratinguetá somente em 01/10.

FATOS MARCANTES

O artilheiro do Parque Sabará deixou registros importantes no curto tempo que jogou pelo E. C. Taubaté. Participou do ultimo jogo no Campo do Bosque em 22.10.67 marcando um gol na vitoria do E. C. Taubaté 5 a 2 contra o XV de Novembro de Jaú.

Participou também do primeiro jogo oficial do   E. C. Taubaté, no então, Estádio Parque das Nações, depois Joaquinzão ocorrido em 05 de novembro de  1967, diante do XV de Novembro.

Na inauguração oficial do Joaquinzão, em partida realizada em 14.01.68, na vitória do São Paulo FC, 2 a 1 , Adilson entrou durante o jogo em lugar de Cristóvão.

Saquinho teve uma curta carreia defendendo o E. C. Taubaté. Surgiu em 1967, jogou também no ano seguinte. Em 1969, o E. C. Taubaté encerrou as atividades do Deparamento de Futebol Profissional e o artilheiro seguiu para a equipe do São Lourenço MG.

Fez parte da equipe taubateana que excursionou pelo norte do Paraná em 1968

1968 foto Excursão pelo norte do Paraná

Excursão norte do Paraná Saquinho com a roupa oficial de viagem do E. C. Taubaté                   foto: divulgação

Em 1969, o então Presidente Joaquim de Morais Filho, solicitou licença da equipe junto a Federação Paulista de Futebol, encerrando as atividades do Departamento de futebol.

Nossos registros apontam que:

1967

No primeiro ano, Adilson realizou 19 partidas sendo 9 amistosos e 10 pelo campeonato, marcando 8 gols nessa temporada.

1968

Em 1968, participou de 24 partidas, sendo 12 amistosos e 12 pelo campeonato,  assinalando 3 Gols.

1969 SAQUINHO VAI PRA MINAS

Com a inatividade do futebol profissional em Taubaté,  Adilson foi defender a equipe do São Lourenço de Minas Gerais. Sua estreia se deu em abril daquele ano em uma partida diante do Santa Rita de Cassia, no empate 2 a 2 . Adilson marcou os dois gols e virou ídolo na cidade.

Corinthians, Portuguesa, Bragantino

Em 1969, recebeu convite para jogar no Corinthians mas não houve acordo, depois o Bragantino o procurou e durante a negociação, a Portuguesa Desportos também mostrou interesse, mas ao final, nem Portuguesa e nem Bragantino chegaram a um acordo. “A gente sabe que o empresário passou a valorizar muito o passe dele e acabou atrapalhando, mas também o comportamento dele influenciou muito nas chances que surgiram com o Corinthians, Portuguesa e Bragantino”, comentou Benedito Neves da Silva, companheiro da Darci, irmã de Saquinho

Em seu retorno para Taubaté, foi chamado para uma conversa série de conselheiros, pelo o então presidente Joaquim de Morais Filho, o amigo Miro e Joaquim Moreira, o Moreirinha. Assunto principal, alerta  a bebida e o perigo para o caminho que poderia ser sem volta.

Depois de encerrar sua curta carreira profissional, Saquinho foi muito disputado pelas equipes do futebol amador da cidade. Praticamente jogou em todas as equipes amadora da 1ª divisão do futebol amador, só não jogando no União Operária.

CARISMÁTICO

Adilson era pessoa alegre e simpática. Possuía inúmeros amigos. Todos os anos, no dia de seu aniversário, acontecia a tradicional feijoada e cantoria em sua casa, junto com muitos amigos. “Sempre organizadas pelos amigos que não deixavam a data passar em branco”, comenta sua irmã Darci.

Saquinho e atletas do Esrela

Adilson foi casado com dona Fátima que conheceu quando esteve trabalhando em Piquete na fábrica IMBEL – Indústria de Material Bélico do Brasil, onde brilho a equipe do Estrela de Piquete.  Com Fátima teve um filho de nome Ronaldson, que vive em Taubaté. Chegou a morar no bairro da Estiva e em determinado momento de sua vida, quando a trabalho pela Mecânica Pesada, passou um período no Rio de Janeiro.

Darci relembra: “Ele gostou muito do Rio e queria de qualquer jeito morara lá. Chegou a levar a família, algumas vezes para passear no Rio. Depois que se separou da Fátima, ela foi para São Paulo, o Ronaldson foi morar com a minha mãe e o Adilson voltou para o Rio. Passado um longo período sem dar notícias, uma certa ocasião um amigo dele, que morava na Estiva, de apelido Grozope, falou para minha mãe que tinha encontrado o Adilson no Rio. Depois de algum tempo ele veio visitar a minha mãe e sumiu de novo. Um dia veio um Pastor de uma igreja lá do Rio, falando que ele estava morando na rua e bebia demais. Que a igreja o acolheu e estavam tentando cuidar dele mas, que seu estado de saúde não era bom. Alguns dias depois ficamos sabendo que ele havia falecido. Minha mãe foi até o Rio e fez o enterro dele. Só não trouxemos o corpo para Taubaté por falta de recurso” contou sua irmã Darci.

Ultima partida no campo do bosque

Foto da equipe momentos antes do inicio da ultima partida no gramado do Bosque. Saquinho com a mão sobre a bola, ao lado de Gardel e Miro – acervo: Moacir dos Santos

Esta é a história de um garoto alegre que se destacou pela sua habilidade com a bola no gramado e muita facilidade de encontrar o caminho do gol. Infelizmente teve sua carreira de jogador profissional interrompida, antes de se tornar um craque dentro do futebol nacional, e quem sabe, internacional.

Fica aqui nossa homenagem ao alegre e talentoso Adilson Saquinho.

moataubaté.com  / Moacir dos Santos

 

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s