Em 26 de julho de 1998, o Brasil perdia seu grande treinador Aymoré Moreira

Bicampeão no comando da Seleção Brasileira no Chile, Aymoré também dirigiu o E. C. Taubaté. Conheça essa história em dois capítulos.

aymoré e pelé

A carreira de técnico começou no Olaria (RJ), em 1947, após cursar a Escola de Educação Física, no Rio – foto: blog tadeu miracema – Blogger

1ª PARTE

Nesse dia 26 de julho, completam-se vinte anos do falecimento do grande treinador de futebol Aymoré Moreira.

Técnico da Seleção Brasileira, também dirigiu o Esporte Clube Taubaté em várias temporadas. Na Seleção Brasileira teve a sua melhor fase, quando conquistou o bicampeonato mundial em 1962.

Nascido em em 24 de abril de 1912 em Miracema – RJ, Aymoré tinha dois irmãos  Zezé Moreira (Alfredo Moreira Junior) e Airton Moreira também técnicos de futebol. Aymoré faleceu em Salvador aos 86 anos devido a falência múltipla dos órgãos, motivada por parada respiratória e parada cardíaca, deixando esposa Neide e dois filhos, Sheila e Éder Moreira.

AYMORE COCO

Tardes de Pacaembu – WordPress.com

Em duas oportunidades foi homenageados em sua terra natal. Em 1993 ele e seu irmão Zéze, foram homenageados pela Associação Atlética Miacema, recebendo o título de “Sócio Benemérito” da Associação. Dois anos depois, ao três irmãos foram homenageados  na festa de emancipação do município.

Aymore recebendo o título de cidadão de salvador

Aymoré recebendo o título de Cidadão Soteropolitano – blog tadeu miracema – Blogger

O biscoito como era conhecido, tinha uma ligação forte com a cidade de Salvador, onde escolheu fixar sua residencia. Após encerrar sua carreira como treinador, dirigindo a equipe do Galícia da cidade onde  também foi homenageado,  recebendo o título de Cidadão Soteropolitano.

Como atleta, apesar de sua baixa estatura, foi goleiro chegando a ser considerado um dos melhores goleiros brasileiro, sido convocado para defender a Seleção Brasileira.

Iniciou sua carreira, em 1930, no Sport Club Brasil equipe amadora. Na sequencia como profissional Aymoré, jogou no América (RJ), em 1932/33, no Palestra Itália (o atual Palmeiras), entre 1934/35, com passagem também pelo Fluminense em 1941, Botafogo do Rio onde encerrou a carreira de jogador.

Aymore goleiro

O goleiro Aymoré Moreira – foto: blogdotadeumiracema.blogspot

AYMORÉ MOREIRA – TREINADOR

Em 1947, após concluir o curso da Escola de Educação Física no Rio, iniciou a carreira como treinador no Olaria (RJ), passando por equipes do Rio como  Bangu, São Cristóvão, Flamengo e Botafogo. Em São Paulo, Portuguesa de Desportos (por quatro vezes), Corinthians, São Paulo, Palmeiras, EC Taubaté (duas vezes) e Ferroviária; em Minas Gerais, Cruzeiro e América; na Bahia, Vitória, Bahia (campeão em 1980), Catuense e Galícia. No exterior, Aymoré dirigiu as equipes do Porto e Boavista de Portugal e Panathinaikos da Grécia.

No comando da Seleção Brasileira, Aymoré Moreira brilhou. Além de conquistar o bicampeonato mundial em 1962, conquistou também a Copa Roca (contra a Argentina), a Taça Rio Branco (contra o Uruguai), a Taça Bernardo O`Higgins (contra o Chile) e a Taça Oswaldo Cruz (contra o Paraguai). Permaneceu como treinador das cores amarela e branca em 1953, 1961 à 1963, 1965 e 1967, tendo sob seu comando três gerações de jogadores brasileiros: Zizinho e Ademir Menezes (década de 50), Pelé, Garrincha, Zito e Zagallo (decada de 60), Rivellino, Tostão e Clodoaldo (final dos anos 60). Depois de Zagalo, foi ele quem mais dirigiu o selecionado brasileiro. Foram 61 jogos oficiais à frente da seleção.

Aymore na seleção

No comando da Seleção Brasileira – foto: blogdotadeumiracema.blogspot

A primeira vez aconteceu em 1953, quando assumiu o comando da Seleção Brasileira substituindo seu irmão Zezé Moreira. Na estreia diante da Bolívia em jogo válido pelo Sul Americano, o Brasil goleou 8×1.Em 1962, 1963, 1965 novamente no comando da Seleção e depois do fracasso do Brasil na Copa de 1966 na Inglaterra, em 1967 foi chamado novamente para o o comando da seleção, com a missão de realizar grande reformulação, que refletiu com o tricampeonato mundial em 1970 no México.

Em 1970, Aymoré Moreira assumiu a função de olheiro do técnico Zagalo. Mesmo em 1970 não existindo facilidades de comunicação como nos dias de hoje, o olheiro dava um jeito de abastecer o técnico Zagalo com informações precisas e de suma importância em relação ao próximo adversário.

A Revista Placar publicou o texto extraído de uma da cartas escrita por Aymoré Moreira para Zagalo, após sondar os adversários da seleção Uruguaia. Veja o texto publicado pela Revista Placar de 24 de abril de 1970.

Observem os detalhes técnicos relatados e até a maneira usada pelo adversário nas cobranças de penalidades.

CARTA DE AIMORÉ

AUTOR INTELECTUAL DA JOGADA DO 4º GOL BRASILEIRO, CONTRA A ITÁLIA

Há registros que garantem que em 1970, Aymoré Moreira foi o autor intelectual da jogada que originou o quarto gol do Brasil contra a Itália, marcado por Carlos Alberto Torres. Diz os registros históricos que, em quarto do hotel, ele desenhou em um guardanapo a jogada do quarto gol.

ACHOU O JEITO DE RIVELINO SER O TITULAR

Há quem afirme que Aymoré Moreira foi quem arrumou lugar para Rivelino não ficar fora do time titular da Seleção Brasileira em 1970

A Revista Placar de 10 de abril de 1970, trouxe uma reportagem com a seguinte manchete:

ELE TEM DE SER TITULAR – palavras de Aymoré Moreira.

A reportagem é aberta com aspas: Podem tomar nota do que digo agora: Rivelino vai ser o meia-esquerda titular da Seleção na Copa do Mundo. Zagalo vai mexer aqui e ali,  virar-se pra lá e pra cá, pensar em muitas soluções, mas vai ter de escalar Rivelino. No Brasil não existe um meia-esquerda como ele, capaz de executar com a mesma eficiência o trabalho que ele faz. Declarou à época Aymoré Moreira para a Revista Placar.

Nas décadas de 50 e 60, era comum competições envolvendo seleções estaduais. No comando do selecionado Paulista, Aymoré permaneceu por mais de dez anos, com

importantes conquistas nos anos de 52, 55,57 e 59.

Em 1950, Aymoré Moreira viveu um grande momento histórico do futebol brasileiro. No comando técnico da Seleção Paulista, enfrentou e venceu a Seleção Carioca no primeiro jogo realizado no estádio Mário Filho, o Maracanã.

ALMIR DO E.C. TAUBATÉ FOI CONVOCADO POR AYMORÉ MOREIRA

Em 1963 Aymoré Moreira convocou o atleta Almir do E. C. Taubaté, para defender o selecionado brasileiro, que se preparava  para a disputa do Campeonato Sul Americano. Almir teve participação em seis jogos, sendo o primeiro, no amistoso contra o Paraguai em Assuncion; depois  pelo Sul Americano, Brasil 1 X 0 Peru em Cochabamba; Brasil 5 X 1 em La Paz; Brasil 0 X 2 Paraguai em La Paz; Brasil 2 X 2 Equador em Cochabamba e Brasil 4 X 5 Bolívia também em Cochabamba. Nesse jogo, Almir marcou ou segundo gol brasileiro.

Na 2ª PARTE estaremos contando a passagem de Aymoré Moreira no comando do E. C. Taubaté. A primeira vez foi em 1955, quando chegou no segundo turno do campeonato paulista da 1ª Divisão, onde o E. C. Taubaté era o caçula. Depois ainda dirigiu o Burro da Central em 56, 56,58, 59, 60, 61 e 62.

Em Taubaté deixou histórias curiosas, mas isso estaremos contando na parte 2 ,que será publicada na próxima terça-feira dia 28/07.

Moacir dos Santos / moataubate.com

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s