JAVIER WEBER FALA DAS EXPECTATIVAS PARA ESTREIA À FRENTE DO EMS TAUBATÉ FUNVIC

Novo treinador taubateano fala sobre o início dos treinamentos, da adaptação das atividades do time em meio à pandemia e sobre o que espera da equipe na temporada 2020/2021 do voleibol

Dentre as muitas novidades do EMS Taubaté Funvic para a temporada que se inicia do voleibol brasileiro, uma das principais estará do lado de fora da quadra. Aos 54 anos de idade, Javier Weber retorna ao vôlei brasileiro e pretende levar o Taubaté a mais uma temporada de conquistas e crescimento.
Em entrevista, o novo comandante taubateano falou sobre as dificuldades deste início de temporada, atrasado por conta da pandemia do COVID, analisou as mudanças que o voleibol brasileiro sofreu desde sua última experiência como treinador por aqui, das expectativas e metas que pretende alcançar no EMS Taubaté Funvic.

A temporada teve seu início atrasado por conta da pandemia de COVID, o que afetou calendário e programação de treino de todas as equipes brasileiras. Como fazer para recuperar esse prejuízo e readaptar os cronogramas de uma temporada regular?


Javier WeberO tempo perdido foi muito grande devido a todos os problemas que a pandemia trouxe. Nós ainda estamos treinando de forma limitada, com grupos reduzidos, e ainda focados em recuperar a situação física de cada um dos atletas. Estamos com programas individuais de recuperação e condicionamento para cada jogador, para atender as necessidades de cada um nesse momento de retorno, sempre tomando os devidos cuidados de higiene e distanciamento. É um trabalho que tem que ser feito dia a dia, pois cada atleta tem uma condição diferente neste momento, e cada um responde de uma forma diferente aos treinos que estamos fazendo nesta primeira etapa. Foram muitos meses sem treino, e além da parte física, tecnicamente é preciso dar esse tempo de recuperação e readaptação para nosso elenco.

Você teve uma carreira que incluiu vários anos como jogador e também treinador no Brasil. Manteve uma rotina vitoriosa no voleibol argentino, onde estava até se transferir para o EMS Taubaté Funvic. Atualmente, quais as principais diferenças entre essas duas escolas sulamericanas?

Javier WeberTem uma diferença importante entre o vôlei brasileiro e o argentino atualmente, em termos de jogo. Na Argentina o jogo fica mais no volume, defesa e controle de bola. Aqui no Brasil se joga muito mais na base do ataque agressivo e saque forçado na maior parte do tempo. A minha mentalidade de trabalho é buscar o melhor para o time em cada uma das posições, em função do que cada um tem de melhor individualmente, em termos de personalidade e fundamentos. E quero colocar também um certo estilo argentino neste elenco que temos.


Quais são essas características argentinas que você pretende trazer ao Taubaté?


Javier Weber. – O que quero trazer do estilo argentino é um pouco mais de defesa, sem dúvida. O trabalho de bola quando ela chega em condições não muito boas, valorizar a segunda bola, e uma organização de jogo em que cada um entenda sua função dentro da quadra e a execute da melhor forma possível.

Como você vê o voleibol brasileiro hoje como um todo?


Javier Weber. – Vejo com bons olhos. Da época em que eu fui jogador e técnico aqui, para cá, vi uma melhora considerável em termos de estrutura dos clubes. O exemplo do EMS Taubaté Funvic é fantástico, é uma estrutura de time profissional mesmo, no nível dos melhores times do mundo. Há 15 anos, por exemplo, quando eu trabalhava aqui no Brasil, era bem diferente. Na Argentina, os clubes cresceram muito tecnicamente falando. O voleibol jogado hoje lá se equipara ao que é jogado aqui no Brasil. Mas o voleibol brasileiro se mantém sempre num patamar muito alto. Eu considero a Superliga brasileira o melhor campeonato do mundo, tecnicamente falando.

Quais são suas expectativas para a equipe quando ela finalmente estiver em quadra?

Javier Weber. – As expectativas são ótimas, o time foi montado para chegar às finais e brigar pelos títulos. Teremos o Sul-Americano de Clubes e a Superliga, que são as competições principais para nós. Mas buscaremos aproveitar cada momento em quadra também nos outros torneios para fazer esse time jogar seu melhor voleibol. A temporada se configura diferente, claro, pela pandemia, mas tenho confiança de que nosso grupo de jogadores e comissão técnica vão fazer um excelente trabalho. A base que temos hoje é muito forte, estamos falando de vários campeões olímpicos, dois levantadores excelentes, nenhuma equipe no mundo tem dois levantadores como o Rapha e o Bruno no mesmo time. Isso nos dá mais opções de qualidade para situações de jogo que peçam algo diferente. Estou
muito satisfeito com a equipe montada.

Currículo
Quando ainda atuava como atleta, Javier Weber era levantador e, jogando no voleibol brasileiro, obteve conquistas importantes. Como jogador, foi bicampeão da Superliga atuando pela extinta equipe da Ulbra-RS, nas temporadas 1997/1998 e 1998/1999. Ele também levantou a taça da principal competição nacional como técnico. Comandando a Unisul, de Santa Catarina, foi campeão na temporada 2003/2004.
Por seu país, Weber ganhou como atleta a medalha de bronze nos Jogos Olímpicos de Seul 1988 e o ouro nos Jogos Pan-Americanos de Mar Del Plata 1995. Disputou também as Olimpíadas de Sydney 2000, quando na ocasião a Argentina eliminou o Brasil nas quartas de final.
Já como técnico, Weber dirigiu a Argentina entre 2008 e 2013 e seus dois melhores resultados foram o quinto lugar nos Jogos Olímpicos de Londres 2012 e a medalha de bronze no Pan-Americano de Guadalajara 2011.


Elenco 2020/2021:
Ponteiros: Douglas Souza, Maurício Borges, João Rafael e João Franck.
Centrais: Lucão, Maurício Souza, Riad e Bruno Biella.
Levantadores: Rapha, Bruno Rezende e Fabiano.
Opostos: Felipe Roque e Gabriel Cândido.
Líberos: Thales e Vitor Yudi.
Comissão Técnica:
Técnico: Javier Weber
Assistente Técnico: Maurício Thomas
Supervisor/Assistente Técnico: Giuliano Ribas
Preparador Físico: Renato Sérgio Bacchi
Preparador Físico: Jaime Lansini
Fisiologista: Tiago Fukugauti
Fisioterapeuta: Miguel Ambrósio
Fisioterapeuta 2: Maicon Douglas
Analista de Desempenho: Alexandre Leal
Massoterapeuta: Kleeva Albuquerque
Auxiliar de quadra: José Carlos Vieira (Branco)
Auxiliar de treinamentos: Davidson Lampariello

Assessoria de Imprensa Vôlei Taubaté / fotos: Maxxsports

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s